Ícone da "Madonna Lactans" na Basílica de São Pedro para as cerimônias de fim de ano

  • Home
  • -
  • Notícias
  • -
  • Ícone da "Madonna Lactans" na Basílica de São Pedro para as cerimônias de fim de ano
Ícone da "Madonna Lactans" na Basílica de São Pedro para as cerimônias de fim de ano
Fonte: VATICANO

Ícone da "Madonna Lactans" na Basílica de São Pedro para as cerimônias de fim de ano

A imagem do século XII proveniente do Santuário de Montevergine será exibida na Basílica do Vaticano para as celebrações papais entre 31 de dezembro e 1º de janeiro. Uma antiga tradição a considera a primeira efígie mariana venerada por São Guilherme de Vercelli, fundador da Abadia Virginiana, cujo 9º centenário está sendo celebrado.

*Riccardo Luca Guariglia, o.s.b.

Para toda a Comunidade Monástica de Montevergine é uma grande alegria poder oferecer à veneração do Santo Padre e de todos os fiéis presentes na Basílica do Vaticano, por ocasião das Celebrações da Santíssima Mãe de Deus, uma antiquíssima representação da Virgem com o Menino, conservada no Museu da Abadia.

Estudos realizados sobre o artefato nos permitem datar o ícone da "Madonna Lactans" (A Virgem Amamentando) no início do século XII e a tradição conta que o mesmo foi objeto da primeira devoção de nosso fundador, São Guilherme de Vercelli, e de seus primeiros seguidores: Todos nós, monges beneditinos virginianos, nos sentimos especialmente representados por nosso antigo confrade, retratado aos pés de Nossa Senhora sentada em um trono, suplicando por eles a luz da graça, o fortalecimento da fé e o consolo da esperança em seguir os preceitos divinos de seu Filho.

Uma mãe que amamenta seu filho é a própria imagem da ternura: em todas as épocas, em todas as civilizações, em todas as dimensões. Ainda mais para nós, cristãos, que estamos vivendo os dias memoriais do Natal do Salvador, da verdade extraordinária e impactante da Encarnação, de um Deus que se faz homem por amor.

Essa "Nossa Senhora que amamenta" se apresenta aos nossos olhos como uma imagem de beleza pungente e popular, apesar da solenidade da postura e da riqueza da ornamentação, e é capaz de traduzir para nós, como foi para todos os nossos antecessores, a impenetrabilidade do dogma em uma linguagem imediata e universal. É a imagem de um milagre cotidiano e compartilhado, o do nascimento e do crescimento, repleto de emoção e admiração, mas não isento de riscos e perigos, como foram a vinda do Senhor ao mundo e a primeira infância. Podemos pensar, ao olharmos para ela, em quantos olhares ao longo dos séculos de mães agradecidas ou suplicantes foram voltados para ela, e quantas mãos trêmulas ergueram em sua direção bebês envoltos em faixas, enquanto imploravam a proteção divina.

"Bendito o ventre que te deu à luz e o seio do qual recebeste o leite!" (Lc 11, 27): o louvor que a mulher do povo dirige à mãe de Jesus é vividamente refletido pelo autor desconhecido da região da Campânia no ícone da Mãe de Deus. Profundamente gratos pelo dom do ano jubilar virginiano e pelos abundantes frutos espirituais que nos são concedidos dia a dia, temos o prazer de levar aos olhos do Papa Francisco esta imagem de Maria Santíssima, que abençoa a sua pessoa e o mundo inteiro mostrando o seu Filho divino, o "príncipe da paz" (Is 9, 5). Com alegre confiança, do alto da montanha onde se encontra nossa Abadia até o Altar da Confissão na Basílica Vaticana, invocamos sua poderosa intercessão, para que a família humana, abrindo-se à mensagem do Evangelho que o Santo Padre incansavelmente proclama, possa passar o novo ano que se inicia em fraternidade e paz.

São as suas próprias palavras que nos guiam na exaltação e no louvor à Theotokos (Mãe de Deus), enquanto, como os pastores, contemplamos o ícone do Menino nos braços de sua mãe, sentindo crescer em nossos corações um sentimento de imensa gratidão para com aquela que deu ao mundo o seu Salvador:

Obrigado, ó Santa Mãe do Filho de Deus, Jesus, Santa Mãe de Deus! Obrigado pela tua humildade, que atraiu o olhar de Deus; obrigado pela fé com que recebeste a sua Palavra; obrigado pela coragem com que disseste «Eis-me aqui», esquecendo-te de ti mesma, fascinada pelo santo Amor, fazendo-te uma só com a sua esperança. Obrigado, ó Santa Mãe de Deus! Intercede por nós, peregrinos no tempo; ajuda-nos a percorrer o caminho da paz. Amém! ( Papa Francisco, Angelus de 1º de janeiro de 2017)

 

*abade ordinário de Montevergine

DomSegTerQuaQuiSexSab
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23242526272829
30123456
DomSegTerQuaQuiSexSab
30123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
DomSegTerQuaQuiSexSab
28293031123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293012345
DomSegTerQuaQuiSexSab
293012345
6789101112
13141516171819
20212223242526
272829303112
DomSegTerQuaQuiSexSab
272829303112
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031
1
2
3
4

Livros Recentes