Comissão Sociotransformadora da CNBB lança orientações e princípios da Pastoral da Moradia e Favela

  • Home
  • -
  • Notícias
  • -
  • Comissão Sociotransformadora da CNBB lança orientações e princípios da Pastoral da Moradia e Favela
Comissão Sociotransformadora da CNBB lança orientações e princípios da Pastoral da Moradia e Favela
Fonte: CNBB

Comissão Sociotransformadora da CNBB lança orientações e princípios da Pastoral da Moradia e Favela

A Comissão Episcopal para a Ação Sociotransformadora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (Cepast-CNBB), em sintonia com o início da Jornada Mundial dos Pobres, de 12 a 19 de novembro de 2023, que traz como iluminação bíblica: “Não desvies o rosto de nenhum pobre” (Tb 4,7), lança o subsídio com orientações metodológicas para implementação da Pastoral da Moradia e Favela. A iniciativa de criação da Pastoral nasceu a partir dos Mutirões por terra, teto e trabalho realizados pela 6ª Semana Social Brasileira (2020-2023), que é uma mobilização da Cepast-CNBB. 

Com a realização dos mutirões, uma equipe iniciou a reflexão e percebeu a necessidade de uma presença orgânica, evangelizadora e sociotransformadora da igreja junto às pessoas que vivem nas periferias, favelas, cortiço e ocupações. Além da necessidade de garantir a moradia digna, a equipe sugere que a Pastoral da Moradia e Favela contribua junto com a comunidade o fortalecimento de uma convivência urbana saudável, com o acesso ao saneamento básico, o direito à mobilidade nas cidades, o transporte público de qualidade, o acesso à educação, à saúde e ao bem-estar. A garantia desses direitos significa a promoção da vida em abundância (cf. Jo 10,10). 

Ser presença com o povo 

Dom José Valdeci Mendes dos Santos, bispo da diocese de Brejo (MA) e presidente da Cepast-CNBB lembra que ao longo da caminhada das Semanas Sociais surgem frutos, e desta sexta edição, um deles é a criação da Pastoral da Moradia e Favela. “Falar de moradia, é falar de dignidade para as pessoas, para as famílias. É falar de direitos e políticas públicas que favoreçam a todas e a todos, para que vivam com dignidade”, afirma o bispo.  

“A Pastoral da Moradia e Favela é inspirada no evangelho de nosso senhor Jesus Cristo, no ensino Social da Igreja e no compromisso com os empobrecidos e empobrecidas. A Pastoral quer ser sinal de profecia, solidariedade e comunhão junto aos irmãos e irmãs, na fidelidade a Jesus de Nazaré: ‘Eu vim para que todos tenham vida e tenham com abundância’” (Jo 10,10), reforça dom Valdeci. 

Já o bispo da diocese de Registro (SP), dom Manoel Ferreira dos Santos Junior, que aceitou a missão de ser o referencial da Pastoral da Moradia e Favela, enfatiza os problemas que as cidades têm, no que tange à questão do direito à moradia digna.

“Nós precisamos dar uma mística a essa missão, ajudar as pessoas a vencerem o problema da falta de moradia e garantir como um direito. Para isso, estamos iniciando e forma oficial a Pastoral da Moradia e Favela. E eu quero animar a todas as dioceses, todas as paróquias, todas as cidades, os agentes de pastoral a uma atenção especial para a questão da moradia: que a gente não esteja ausente desta missão, que a gente possa ajudar nosso povo a ter a mítica de lutar por aquilo que é um direito de fato. Que a cada lugar que queiram iniciar a Pastoral, tenham certeza do apoio de nossa Igreja”, anima dom Manoel. 

Defender a vida e o direito a viver com dignidade 

O subsídio apresenta os valores que a Pastoral da Moradia e Favela traz em sua missão de ser presença fraterna e evangélica junto às pessoas e organizações nos territórios, que luta por moradia. Nesse sentido, o agente e pastoral, com a comunidade buscam a transformação da realidade de exclusão e marginalização, como “fermento” na luta pelo direito à moradia digna e à cidade. 

Na introdução o texto traz, nos valores que a Pastoral assume diz: “Defendemos, em primeira instância, o direito humano à vida, ao teto e à cidade, a partir da Boa-Nova de Jesus Cristo, que vem habitar entre nós para nos salvar, a “começar pelos últimos” (EG 48). 

A moradia e o lar são direitos fundamentais, tão importantes que o próprio discípulo de Jesus Cristo lhe pergunta “Mestre, onde moras?” (Jo 1,38) e Jesus é conhecido pela localidade onde cresceu, conviveu e se desenvolveu, Nazaré. 

“Desse modo, buscamos a garantia do direito à moradia digna, assegurando a permanência, os serviços necessários e a posse segura. A moradia é o lugar onde as famílias repõem as forças, cultivam sadia convivência e relações de solidariedade, a partir de onde formam comunidade, celebram a vida e se integram na sociedade”. 

Por isso, “a moradia é a porta de entrada de todos os direitos”: a partir da moradia digna, se garantem o acesso ao emprego, à justiça, à educação e à saúde, bem como a qualidade de vida e das relações, para que não sejam marcadas pela exclusão, a violência e a miséria. Como valor fundamental, queremos ser presença fraterna e profética para o enfrentamento das causas que marginalizam, vitimizam e violentam as populações das áreas urbanas e periféricas”, conclui-se a apresentação dos valores da Pastoral da Moradia e Favela.

Para acessar o conteúdo na integra, clique aqui: Orientações e Princípios da Pastoral da Moradia e Favela 

 

 

Com informações da Comissão Episcopal para a Ação Sociotransformadora 

 

DomSegTerQuaQuiSexSab
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23242526272829
30123456
DomSegTerQuaQuiSexSab
30123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
DomSegTerQuaQuiSexSab
28293031123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293012345
DomSegTerQuaQuiSexSab
293012345
6789101112
13141516171819
20212223242526
272829303112
DomSegTerQuaQuiSexSab
272829303112
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031
1
2
3
4

Livros Recentes