Parolin aos futuros núncios: sem vanglória, mas com humildade para reconciliar conflitos

  • Home
  • -
  • Notícias
  • -
  • Parolin aos futuros núncios: sem vanglória, mas com humildade para reconciliar conflitos
Parolin aos futuros núncios: sem vanglória, mas com humildade para reconciliar conflitos
Fonte: VATICANO

Parolin aos futuros núncios: sem vanglória, mas com humildade para reconciliar conflitos

O secretário de Estado presidiu as Segundas Vésperas na memória litúrgica de Santo Antônio Abade na Pontifícia Academia Eclesiástica e ofereceu indicações práticas sobre como realizar a "árdua, mas fascinante" missão de paz que cabe à diplomacia pontifícia: "Não buscar os holofotes, mas exercitar a humildade fazendo gestos gratuitos e ocultos de bem, ajudando aqueles que estão passando por momentos difíceis nas comunidades e escritórios, não ferindo os outros com palavras"

Salvatore Cernuzio – Vatican News

Aos futuros núncios, que têm a "árdua, mas fascinante missão de recompor animosidades e conflitos na Igreja e no mundo", o cardeal Pietro Parolin ofereceu indicações concretas para o desempenho de um ministério como o da diplomacia pontifícia, que certamente não é isento de "fadiga e urgência" e, às vezes, até de "solidão". Em primeiro lugar, não buscar os holofotes, depois fazer "gestos benéficos, gratuitos e ocultos", talvez em relação a uma pessoa ou a um colega em dificuldade em suas próprias comunidades e escritórios, além disso, não ferir o próximo com palavras e não ceder ao que o Papa Francisco chamou tantas vezes de "mexericos". Em outras palavras, exercitar a "humildade", uma virtude que é mais urgente do que nunca nos tempos atuais de ódio e conflitos "inquietadores".

Humilde, não remissivo

O secretário de Estado presidiu as Segundas Vésperas para os "habitantes" da Pontifícia Academia Eclesiástica, a chamada "escola dos futuros núncios", no dia 17 de janeiro passado, por ocasião da memória litúrgica de Santo Antônio Abade. Foi precisamente a figura do santo eremita que iniciou o monaquismo cenobítico e é um exemplo de total confiança em Deus que guiou a reflexão do cardeal, que exortou os sacerdotes que estudam para se tornar representantes do Papa no mundo a serem, precisamente, como Santo Antônio, "humildes". O que não significa ser "remissivo e hesitante, como se estivesse cercado por um fundo de inadequação", nem significa "sentir-se pequeno", mas "fazer-se pequeno". Uma atitude muito diferente, alimentada pela certeza de que "essa pequenez é o caminho pelo qual o Senhor pode realizar grandes coisas, se colocarmos nossa confiança Nele sem buscar os holofotes". 

Uma família espalhada pelo mundo, mas não desunida

O secretário de Estado, em sua homilia, também se deteve sobre o conceito de unidade para assegurar que os diplomatas, mesmo em meio às dificuldades que seu trabalho acarreta, nunca estão sozinhos, mas "em uma família". De fato, a palavra "Corpo diplomático" é usada, com o substantivo "corpo" entendido "como a unidade de muitas partes diferentes" e, sobretudo, como "reflexo do Corpo de Cristo que é a Igreja, na qual estamos inseridos e que somos chamados a construir em unidade". A diplomacia pontifícia é uma família "espalhada pelo mundo, mas não desunida", disse o cardeal; "apesar do fato de que ela ocorre principalmente dentro de um escritório, ela diz respeito à vida de muitas pessoas e comunidades", mas às vezes, é verdade, ela experimenta "solidão".

Solidão e consolo

O que deve ser feito nesses momentos de desânimo? É novamente Santo Antônio que oferece o exemplo: durante muito tempo, o abade se viu "imerso em uma áspera luta interior que não lhe dava trégua, particularmente contra a tentação de ceder à nostalgia e aos arrependimentos de sua vida passada". Depois de tanto tormento, o Senhor, vendo-o lutar, resistir e vencer, consolou-o e assegurou-lhe sua ajuda para sempre. "Também pode acontecer de experimentarmos momentos de decepção e desânimo - disse Parolin -, mas acredito que o importante é nos abandonarmos não aos nossos próprios sentimentos, mas à fidelidade do Senhor".

Do eu para Deus

É uma questão de deslocar o "centro de gravidade" do eu para o Senhor. É uma questão de humildade, instrumento que ajuda a superar situações difíceis e a sensação de que muitas coisas vão "de mal a pior". Uma tentação, essa, que muitas vezes acontece hoje em dia, "vendo muito ódio e conflitos inquietadores que assolam o mundo, o que pode incutir um certo pessimismo", observou o cardeal. Santo Antônio também adotou a humildade "como sua companheira de vida, renunciando a si mesmo pelo Senhor; colocando seu Deus antes de si mesmo". Essa é a atitude a ser seguida porque "gera confiança", "nos faz sentir amados e nunca abandonados" e ajuda a manter uma serenidade interior "quando somos chamados a renunciar a certas circunstâncias ou ambientes mais agradáveis, para nos aventurarmos em jornadas geográficas e de trabalho talvez inimagináveis".

Cuidado com a vanglória

Por fim, o purpurado alertou contra a "vanglória", uma tentação - disse Pascal - à qual devemos estar atentos, pois ela é "onipresente". A humildade é o seu "remédio" e pode ser exercida "cultivando a preocupação com os outros, fazendo gestos benéficos, gratuitos e ocultos. Penso, por exemplo, disse o cardeal Parolin, "no respeito para com uma pessoa da comunidade, do escritório ou da Nunciatura que está passando por um período difícil; no tempo para dedicar à escuta de um irmão; na proximidade com um colega distante que está passando por um momento de provação; na firmeza em não ferir com palavras e, sobretudo, em não falar mal dos outros". Quanto o Santo Padre nos fala sobre isso!"

Precisamente com o Papa Francisco em mente, o secretário de Estado citou o Santo de Assis, de quem o Pontífice tomou o nome. O Pobrezinho, falando de humildade, costumava dizer: "Um homem é o que ele é aos olhos de Deus, nada mais". Eis então, concluiu Parolin, "nossa glória é essa e nenhuma outra".

DomSegTerQuaQuiSexSab
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23242526272829
30123456
DomSegTerQuaQuiSexSab
30123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
DomSegTerQuaQuiSexSab
28293031123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293012345
DomSegTerQuaQuiSexSab
293012345
6789101112
13141516171819
20212223242526
272829303112
DomSegTerQuaQuiSexSab
272829303112
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031
1
2
3
4

Livros Recentes