Dario Vitali: “Levemos à maturidade os frutos do Sínodo”

  • Home
  • -
  • Notícias
  • -
  • Dario Vitali: “Levemos à maturidade os frutos do Sínodo”
Dario Vitali: “Levemos à maturidade os frutos do Sínodo”
Fonte: VATICANO

Dario Vitali: “Levemos à maturidade os frutos do Sínodo”

A Sinodalidade, a missão e o diaconato serão segundo o professor de eclesiologia na Pontifícia Universidade Gregoriana, Pe. Dario Vitali, os principais desafios da Igreja para 2024.

Rosa Martins – Vatican News

Uma compreensão profunda do verdadeiro significado de caminhar juntos, a reflexão sobre como levar o Evangelho ao mundo extremo e às periferias existenciais, e o discernimento sobre o papel do diaconato estarão no centro do compromisso da Igreja neste novo ano que acaba de começar. “Não percamos a oportunidade de levar à maturidade os frutos esperados na assembleia sinodal, que nos deram um amplo horizonte”, exorta o professor de eclesiologia na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, consultor da secretaria geral do Sínodo dos Bispos e coordenador dos especialistas em teologia na primeira fase sinodal, Pe. Dario Vitali.

Alguns dos desafios mais importantes que a Igreja universal terá de enfrentar neste novo ano que acaba de começar estão relacionados ao Sínodo que será concluído com a segunda fase prevista para outubro próximo.

De acordo com Vitali, 2024 será uma oportunidade para aprofundar o tema central da sinodalidade. “Devemos evitar que seja um tempo vazio que não traga à maturidade os frutos esperados na primeira parte do trabalho sinodal que nos deu um amplo horizonte”, enfatiza.

Reflexão cuidadosa

A Igreja sinodal em saída, o método sinodal e a relação entre autoridade e participação são algumas das principais questões sobre as quais todos os bispos e todas as Conferências Episcopais deverão refletir cuidadosamente. A atividade missionária, por sua vez, será um desafio que hoje deve levar em conta o caráter da Igreja sinodal. "Uma missão que não seja sinodal corre o risco de ser uma ação de proselitismo: cada grupo segue seu próprio caminho, cada sujeito realiza a missão de acordo com sua própria ideia. Em essência, ativa-se uma dinâmica missionária que corresponde ao próprio modelo de Igreja, com o risco de uma perigosa polarização”, ressalta.

O papel das mulheres, olhar para a Tradição

Ainda segundo o professor, deve haver uma reflexão sobre o diaconato no que diz respeito à sua própria natureza e independentemente dos assuntos envolvidos. “Qual é a natureza do diaconato? Para que ele serve? Na Igreja, qual é a sua finalidade?”

E acrescenta que “se for pensado em estrita unidade com as outras duas ordens, em uma chave sacerdotal e em uma forma de ascensão ao grau mais elevado, então não há espaço para uma atribuição a outros sujeitos que não sejam homens.  Ou seja, que permanecem diáconos ou recebem o segundo grau em uma forma ascendente que, no entanto, não corresponde à Tradição".

A Tradição, detalha o teólogo, “pensava no ministério diaconal como uma forma de serviço à comunidade, e na Tradição havia também a presença de mulheres realizando esse serviço. E é precisamente essa presença feminina na Tradição que nos obriga a refletir se não podemos restaurar o diaconato também para as mulheres. Uma reflexão que deve nos permitir encontrar um equilíbrio dentro da Igreja, respeitando todas as sensibilidades existentes”.

DomSegTerQuaQuiSexSab
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23242526272829
30123456
DomSegTerQuaQuiSexSab
30123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
DomSegTerQuaQuiSexSab
28293031123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293012345
DomSegTerQuaQuiSexSab
293012345
6789101112
13141516171819
20212223242526
272829303112
DomSegTerQuaQuiSexSab
272829303112
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031
1
2
3
4

Livros Recentes