Itália. Tráfico de pessoas: 3ª maior fonte de renda para o crime, após armas e droga

  • Home
  • -
  • Notícias
  • -
  • Itália. Tráfico de pessoas: 3ª maior fonte de renda para o crime, após armas e droga
Itália. Tráfico de pessoas: 3ª maior fonte de renda para o crime, após armas e droga
Fonte: VATICANO

Itália. Tráfico de pessoas: 3ª maior fonte de renda para o crime, após armas e droga

A maioria das vítimas do tráfico de seres humanos na União Europeia são mulheres e meninas traficadas para exploração sexual. Quase uma em cada quatro vítimas é uma menor. Save the Children, que sempre esteve comprometida com as crianças, junto com outras 6 organizações, lança o projeto E.V.A. para combater o fenômeno nas fronteiras da França, Itália e Espanha

Ouça e compartilhe

O dado vem do Ministério do Interior: na Itália, o tráfico de pessoas é a terceira maior fonte de renda para o crime organizado, depois do tráfico de armas e de drogas. Nos primeiros seis meses de 2023, as pessoas assistidas pelo sistema antitráfico, gerenciado pelo Departamento de Igualdade de Oportunidades, eram 1.477, 64,2% das quais eram mulheres e 2,4% menores, principalmente da Nigéria (51,5%), Paquistão (6,4%), Marrocos (5,5%), Brasil (4,5%), Costa do Marfim (3,9%).

Sete organizações para o projeto E.V.A.

Para enfrentar o fenômeno e garantir a saída da exploração de garotos e garotas de países terceiros com menos de 18 anos e mulheres jovens com até 30 anos de idade, vítimas em potencial do tráfico de pessoas e da exploração ou em risco de cair na rede dos exploradores, uma parceria de sete organizações da sociedade civil que operam na Itália, Espanha e França, liderada pela Save the Children Itália, lançou o projeto "E.V.A. Early identification and protection of Victims of Trafficking in Border Areas" (Identificação precoce e proteção de vítimas do tráfico em áreas de fronteira) nos três países. O tráfico de pessoas tem características semelhantes no mundo inteiro: recrutados nos países de origem com a promessa de melhores condições de vida na União Europeia, os migrantes geralmente se tornam vítimas de várias formas de exploração, tanto em trânsito quanto nos países de destino.

Proteção e caminhos de reintegração para as vítimas

Segundo um comunicado de imprensa da Save the Children Itália, o projeto visa fornecer proteção e caminhos de reintegração social para as vítimas, previstos pelos governos, por meio de várias etapas, incluindo o acesso a um abrigo, um lugar onde as mulheres traficadas e seus possíveis filhos possam escapar da coerção e do controle das redes de tráfico. "Ao longo dos anos - diz Raffaela Milano, diretora de Programas Nacionais e Advocacia da Save the Children Itália -, vimos que o tráfico é um fenômeno oculto e que as vítimas identificadas são, muitas vezes, apenas a ponta do iceberg. Entre as pessoas em risco estão muitas crianças que escapam da rede de proteção do governo porque estão à mercê de traficantes inescrupulosos. Com a Covid, a rede de tráfico criminoso se reorganizou imediatamente para usar serviços digitais".

As diversas formas de exploração

"Adultos e crianças - explica Raffaella Milano - são explorados de muitas maneiras, com diferentes tipos de tráfico: a exploração sexual e a exploração do trabalho são muito difundidas, mas também há vítimas de mendicância forçada, servidão doméstica, casamentos forçados, economias criminosas forçadas. Esse projeto tem como objetivo identificar vítimas de tráfico ligadas a movimentos secundários na Europa e quer ser uma peça no mosaico de intervenções que devem ter como objetivo, em grande escala, estudar o fenômeno e desenvolver prevenção, detecção e contramedidas eficazes". Entre 2023 e 2024, serão desenvolvidas estratégias nacionais e transnacionais eficazes e sustentáveis para a identificação precoce e o acesso à proteção de crianças e mulheres, não apenas nas passagens de fronteira entre a Itália e a França e entre a Espanha e a França, mas também nos centros de recepção em Paris e perto das fronteiras francesas com a Itália.

A situação na Itália

A Itália é considerada pela maioria dos migrantes como um país de trânsito. Uma das rotas usadas para fugir do país é o eixo ligure-provençal. Os migrantes geralmente cruzam a cidade fronteiriça de Ventimiglia e depois seguem para a França ou a Espanha. No final de 2021, a equipe antitráfico da Save the Children Itália realizou uma avaliação sobre os riscos de tráfico e exploração entre menores e mulheres com crianças que em Ventimiglia cruzam a fronteira com a França, destacando um movimento de garotas e mulheres jovens da Costa do Marfim viajando sozinhas ou com crianças, vítimas em potencial ou em risco de tráfico. Além disso, foi observado o trânsito de jovens mulheres nigerianas que retornam à Itália após fugirem para a França para escapar da exploração, correndo o risco de serem novamente traficadas. De janeiro a novembro de 2023, pelo menos 3.627 menores cruzaram a fronteira em Ventimiglia. A legislação italiana contra o tráfico e a exploração está alinhada e promove princípios orientadores reconhecidos internacionalmente. A legislação prevê a inclusão das vítimas em um programa abrangente de identificação, assistência e integração social. Ademais, permite a emissão de uma autorização de residência especial, constituindo um modelo avançado no combate ao tráfico e à exploração.

Tráfico de pessoas em ascensão na Espanha

Embora tenha recebido menos atenção do que a fronteira entre a Itália e a França, a fronteira entre a Espanha e a França também tem sido o centro do aumento do tráfico e do tráfico de migrantes, sobretudo nigerianos, marfinenses e guineenses que entram na Europa pela fronteira sul da Espanha. Save the Children Espanha coletou evidências concretas de possíveis sobreviventes de tráfico entre crianças, adolescentes e suas famílias em trânsito pela Espanha. A maioria dos perfis identificados como vulneráveis ou com sinais de exploração e abuso nos primeiros centros de recepção e pontos-chave na fronteira sul da Europa na Espanha tendem a realizar movimentos secundários arriscados para outros países, mais comumente a França. O desenvolvimento de medidas de identificação e proteção seguras no norte poderia ajudar a complementar as atividades atuais, garantindo intervenções mais abrangentes e uma identificação mais eficaz das situações de tráfico.

Combate ao tráfico de pessoas na França ainda inadequado

Localizada entre a Itália e a Espanha, a França é um país de destino e de trânsito para muitos migrantes traficados da Itália e da Espanha. Conforme apontado no último relatório sobre a França (2022) do Grupo de especialistas do Conselho da Europa sobre ações contra o tráfico de seres humanos, GRETA, a grande maioria dos sobreviventes "não denuncia atos de tráfico às autoridades competentes, principalmente porque temem represálias dos traficantes ou a expulsão da França". O GRETA enfatiza que os esforços para combater o tráfico na França ainda são amplamente inadequados e que há uma necessidade urgente de melhorar a identificação, a proteção e o apoio aos sobreviventes. Com relação à identificação e à proteção, as deficiências mais importantes são a falta de habilidades específicas para o tráfico da parte dos funcionários que trabalham nos centros de recepção e a falta de acomodações seguras para as pessoas traficadas.

DomSegTerQuaQuiSexSab
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23242526272829
30123456
DomSegTerQuaQuiSexSab
30123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
DomSegTerQuaQuiSexSab
28293031123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293012345
DomSegTerQuaQuiSexSab
293012345
6789101112
13141516171819
20212223242526
272829303112
DomSegTerQuaQuiSexSab
272829303112
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031
1
2
3
4

Livros Recentes