Santa Sé: dois Estados é a única solução para Israel e Palestina

  • Home
  • -
  • Notícias
  • -
  • Santa Sé: dois Estados é a única solução para Israel e Palestina
Santa Sé: dois Estados é a única solução para Israel e Palestina
Fonte: VATICANO

Santa Sé: dois Estados é a única solução para Israel e Palestina

O observador permanente da Santa Sé na Onu, em Nova York, o arcebispo Gabriele Caccia, se pronuncia sobre a questão do Oriente Médio, reiterando os apelos do Papa a um cessar-fogo: “todo ser humano, seja cristão, judeu, muçulmano, de qualquer povo ou religião, é sagrado, precioso aos olhos de Deus e tem o direito de viver em paz”

A solução mais viável para alcançar uma paz duradoura permanece sendo a de dois Estados, "com um status especial garantido a nível internacional para a Cidade de Jerusalém". O que o Papa Francisco tem afirmado em várias ocasiões em relação à questão médio-oriental foi veementemente reiterado pelo observador permanente da Santa Sé na Onu em Nova York, dom Gabriele Caccia, que esta quarta-feira, 24 de janeiro, fez um pronunciamento sobre a situação no Oriente Médio e sobre a questão palestina. "É fundamental que a comunidade internacional, junto com os líderes do Estado da Palestina e do Estado de Israel, busque tal solução com renovada determinação num mumento de desesperança e hostilidade difusas", observou o arcebispo.

Preocupações de Francisco

O observador da Santa Sé se deteve sobre a preocupação do Papa com a guerra em curso e reiterou sua condenação ao ataque de 7 de outubro contra o povo israelense, os apelos em favor da libertação dos reféns em Gaza, as invocações para um cessar-fogo estendido a todas as frentes e para que a distribuição das ajudas humanitárias seja facilitada, e em seguida reiterou sua convicção de que a guerra atual "não é a maneira de resolver controvérsas entre os povos". Dom Caccia apontou para a extrema gravidade da situação humanitária em Gaza que "afeta os inocentes", causando "sofrimento inimaginável", as mais de 20 mil pessoas mortas e os quase dois milhões de deslocados.

Respeito ao direito humanitário

Em seu discurso, o arcebispo lamentou que "hospitais, escolas e locais de culto, que são o último recurso para aqueles que fogem da violência em Gaza, estejam sendo usados para fins militares e, consequentemente, atacados". É essencial, destacou o prelado, "evitar que uma população inteira pague as consequências de um ato atroz de terrorismo", lembrando em seguida que "qualquer ação tomada em legítima defesa deve ser guiada pelos princípios de distinção e proporcionalidade e respeitar o direito humanitário internacional". O apelo mais uma vez é para que a comunidade internacional se esforce para "defender e aplicar o direito humanitário", a única maneira de "garantir a defesa da dignidade humana em situações de guerra".

Em Israel, assim como na Palestina e em qualquer outro lugar do mundo, concluiu Caccia, "todo ser humano, seja cristão, judeu, muçulmano, de qualquer povo ou religião, é sagrado, precioso aos olhos de Deus e tem o direito de viver em paz".

DomSegTerQuaQuiSexSab
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23242526272829
30123456
DomSegTerQuaQuiSexSab
30123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
DomSegTerQuaQuiSexSab
28293031123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293012345
DomSegTerQuaQuiSexSab
293012345
6789101112
13141516171819
20212223242526
272829303112
DomSegTerQuaQuiSexSab
272829303112
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031
1
2
3
4

Livros Recentes