Armênia, um Natal entre o medo e a esperança

  • Home
  • -
  • Notícias
  • -
  • Armênia, um Natal entre o medo e a esperança
Armênia, um Natal entre o medo e a esperança
Fonte: VATICANO

Armênia, um Natal entre o medo e a esperança

No coração da região do Cáucaso Menor, a Armênia comemora o Natal após um ano difícil. Em Gyumri, perto da fronteira com a Turquia, religiosas da congregação armênia da Imaculada Conceição tentam levar conforto às crianças deslocadas pela guerra.

Marine Henriot - Cidade do Vaticano

"Aproxime-se o dia da paz definitiva entre a Armênia e o Azerbaijão. Seja ela favorecida através da prossecução das iniciativas humanitárias, o regresso dos deslocados às suas casas na legalidade e em segurança, e o respeito mútuo pelas tradições religiosas e locais de culto de cada comunidade." A mensagem de paz do Papa para os dois países do Cáucaso ressoou no último dia 25 de dezembro, durante a Bênção Urbi et Orbi.

Palavras que, de certa forma, marcam um caminho para a sobrevivência da Armênia, o primeiro Estado cristão do mundo que vive uma situação extremamente difícil. Envolvidos em um conflito territorial há décadas devido à região de Nagorno-Karabakh, o Azerbaijão e a Armênia travaram várias guerras, uma entre 1988 e 1994, a outra no outono de 2020. Em setembro de 2023, após uma ofensiva relâmpago do Azerbaijão, a região foi oficialmente devolvida ao controle de Baku. Imediatamente após essa operação militar de 24 horas, as autoridades de Baku prenderam vários representantes separatistas e Nagorno-Karabakh foi esvaziada de quase todos os seus habitantes, com mais de 100.000 das 120.000 pessoas registradas fugindo para a Armênia.

Dias festivos no orfanato

Perto da fronteira com a Turquia, em Gyumri, a segunda cidade do país, três religiosas da congregação armênia da Imaculada Conceição administram um orfanato que atualmente abriga cerca de 30 crianças. As comemorações de Natal são uma oportunidade de levar algum alívio aos pequenos acolhidos, muitos dos quais vêm de Nagorno-Karabakh. "Desenhamos presépios, organizamos refeições, comemoramos", explica a Irmã Nariné, que está em meio aos preparativos para o dia de fim de ano, quando mais de 300 pessoas, incluindo antigos residentes e famílias, são esperadas no orfanato. No entanto, o medo de outra guerra ainda está presente: "Não estamos acostumados a viver em paz", suspira Ir. Nariné. No orfanato, os psicólogos dão apoio às crianças deslocadas, porque em Gyumri, embora geograficamente longe de Nagorno-Karabakh, a guerra é onipresente. "Podemos ver os soldados na cidade e as famílias desabrigadas. Gostaríamos que as crianças esquecessem essa guerra, mas isso não é fácil".

A perspectiva para 2024

Após o confronto em setembro, as autoridades separatistas armênias em Nagorno-Karabakh concordaram em se retirar em 1º de janeiro de 2024, decisão que foi cancelada em 22 de dezembro. Apesar de alguns sinais positivos, como a promessa de Yerevan e Baku de "normalizar" suas relações, os observadores continuam céticos quanto à assinatura de um acordo de paz entre ambos os vizinhos. Quanto às crianças, Ir. Nariné tem um desejo para 2024: "Paz, antes de tudo, queremos paz. Todo mundo quer paz e por isso nós rezamos".

DomSegTerQuaQuiSexSab
26
27
28
29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23242526272829
30123456
DomSegTerQuaQuiSexSab
30123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031123
DomSegTerQuaQuiSexSab
28293031123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293012345
DomSegTerQuaQuiSexSab
293012345
6789101112
13141516171819
20212223242526
272829303112
DomSegTerQuaQuiSexSab
272829303112
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031
1
2
3
4

Livros Recentes